património

Exposição inovadora a visitar!

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2015-10-30

coming-out13_770x433_acf_cropped

O Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, desde 29 de Setembro que tem expostas reproduções de obras-primas nas zonas do Chiado, Bairro Alto e Príncipe Real.

 “Coming Out. E se o Museu saísse à rua?” é o título desta exposição inovadora organizada pelo museu, que lançou esta iniciativa à semelhança do projeto desenvolvido em Londres, nos bairros de Convent Garden, Soho e Chinatown, pela National Gallery, denominado “The Grand Tour”.

O MNAA refere que as reproduções que estão espalhadas pelas zonas antigas de Lisboa, são de “altíssima qualidade, em escala real, e providas de molduras em madeira e tabelas, tal qual são expostas nas salas de um qualquer museu”.

“Retrato do Rei D. Sebastião”, pintado em 1571 por Cristóvão de Morais, “Salomé com a cabeça de São João Batista”, pintado por Lucas Cranach, o Velho, em 1510-1515, “Senhora das Dores”, de Quentin Metsys, de 1511, e “Virgem com o menino e santos”, de Hans Holbein, o Velho, pintado em 1519, são algumas das reproduções que estão nas ruas de Lisboa antiga.

Com este projeto, o museu pretende divulgar o património artístico e histórico português ao público nacional e estrangeiro.

A exposição do Museu Nacional de Arte Antiga começou com 31 quadros espalhados pela Baixa. E já só restam 28 obras.

“Não há vandalismo, as pessoas levam os quadros. É curioso”, diz António Filipe Pimentel, que, mantendo a boa disposição, refere que no final da iniciativa vai ser publicado um catálogo com todas estas peripécias que mostram como a idade interage com as réplicas.

Nesta exposição já não se pode contar com as réplicas dos quadros “Ruínas de Roma Antiga”, de Giovanni Paolo Pannini, “Feira da Ladra na Praça da Alegria”, de Nicolas Delerive e “Inferno” do século XVI.

Os quadros só serão retirados da Baixa de Lisboa na noite de 1 para 2 de Janeiro de 2016.

expo_comingout_2015

Saiba mais aqui.

Fonte: Observador
Observador

iClio, campeã nacional!

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2015-09-03


iClio, empresa-mãe da JiTT, foi a vencedora, em Portugal, do European Business Awards 2015/16 na categoria The UKTI Award for Innovation. Como campeã nacional, iClio, vai competir na próxima fase, em representação de Portugal, por um lugar nos 10 Ruban d’Honneurs Awards, sendo a única empresa portuguesa.

Este prémio prestigioso coloca a iClio, assim como outras empresas jovens portuguesas como a Science4You, no mesmo patamar que marcas nacionais bem-sucedidas, já bem consolidadas no mercado, como a Delta Cafés e a Jerónimo Martins.

iclio

A iClio é uma empresa dedicada à criação e publicação de contéudos relacionados com a história, património e cultura de diversos países. Especializou-se na produção de conteúdos para os meios digitais e o seu principal objetivo é responder à crescente procura de conteúdos de alta qualidade através da criação de produtos que proporcionem uma experiência gratificante, sempre a par das capacidades e funcionalidades dos novos dispositivos e meio de comunicação digital.

Esta empresa pretende construir uma ponte entre conteúdos e tecnologia, focando-se na precisão, na utilidade e na qualidade e gestão do projeto.

A JiTT, Just in Time Tourist, é uma app, criada pela iClio, que quer dar a conhecer, aos turistas, as cidades e toda a sua história. Disponível nas principais lojas de aplicações móveis, o JiTT é um guia turístico que junta cultura e história. Conhecer as histórias que fazem cada cidade. É esse o objetivo da Just in Time Tourist (JiTT).

iclio (1)

Miss Can, conservas ganham prémio Indústrias Criativas

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação 2015-08-11

Miss Can, startup ligada ao sector das conservas, foi o vencedor do Prémio Nacional de Indústrias Criativas, promovido pela Super Bock e pela Serralves.
Este ano o prémio de 25 mil euros foi atribuído a Miss Can, que concorria na categoria turismo e património, um projeto que “nasceu da vontade de três amigos em recuperar a tradição familiar ligada à indústria conserveira, criando um negócio moderno com a dedicação de outros tempos”. As conservas de sardinha, cavala e atum, utilizam um método artesanal (peixe cozido a vapor), mas com embalagens modernizadas “nos quais se encontra a história desta indústria, curiosidades históricas de acordo com cada tema e sugestões de receitas”.
A Miss Can vai representar Portugal no Creative Business Cup, que se irá realizar a 17 e 18 de novembro em Copenhaga (Dinamarca), de onde irá emergir o melhor empreendedor do setor a nível mundial, entre mais de 50 países participantes.miss can boites