negócio

Práticas para a deteção de ideias inovadoras

Msousa Startups 2018-05-30

Ideias – como selecioná-las

São várias as técnicas e os mecanismos que facilitam o processo de geração de ideias. Existem muitas sugestões e opiniões. Deixo aqui a minha seleção.

Inspire-se nos modelos tradicionais

Muitas das vezes é através de modelos tradicionais que a inovação acontece e possibilita refrescar ou alargar o portfólio de produtos ou serviços.

Acrescentar valor

Ir ao encontro das necessidades dos clientes com mais valor e a um preço igualmente competitivo.

Substituição de atributos

Este é o processo de dissecar o produto ou serviço nas suas diversas componentes e depois encontrar novas combinações, seja através da eliminação, introdução ou substituição de atributos, tal como uma construção da Lego.

 

Alteração do modelo de pricing

O sistema de pagamento de determinado produto ou serviço pode ditar o sucesso ou insucesso de um negócio. Reinventar o seu formato numa dimensão única e inovadora é o passaporte para um crescimento exponencial da empresa.

Novos canais

Hoje é crucial estar onde o cliente deseja. A transformação digital proporciona inúmeras oportunidades para empresas e marcas, novas ou antigas, inovarem nos seus canais de distribuição, sempre em prol de um cliente mais satisfeito e fiel.

Cruzar setores

O olhar para outros setores e áreas ajuda-nos, em certos casos, a encontrar soluções inovadoras para as nossas necessidades. É por isso fundamental privilegiar um olhar global e não centrado apenas nos nossos concorrentes ou setor.

Novas tendências

Esteja atento e monitorize regularmente as novas tendências e hábitos de consumo. Este seu comportamento permitirá identificar precocemente necessidades e soluções para os seus consumidores.

 

Especialização

Não pense somente em grandes mercados ou milhões de clientes. Muitas das vezes existem nichos esquecidos que valem muito e proporcionam um retorno incrível.

 

ANJE oferece sessões de coaching e prémio de cinco mil euros

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2017-08-30

 

Chamam-se “Fix, Test & Flip to the Market” e não mais são do que sessões de coaching dirigidas a que tem uma ideia de negócio mas não dispõe das ferramentas que permitem passar da teoria à prática. Ao longo de 200 horas, a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) oferece estas sessões, já a partir de dia 4 de setembro, na sua sede nacional, no Porto. E o melhor de tudo é que são gratuitas, bastando apenas uma inscrição prévia.

Read More

Startup Sintra – Quinto programa de aceleração em Sintra

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2017-03-06

Em abril, a Startup Sintra quer iniciar  um novo programa de aceleração de negócio, o quinto, com o período de candidaturas a decorrer até 20 de Março. Das edições anteriores, resultaram projectos como o da Beyondevices, com investimento pela Portugal Ventures, J.Lisbon com financiamento da Semeia Ventures, Homeit investida por um grupo de “business angels”, ou a Package Point.

A startup mais promissora do quinto programa obterá um prémio no valor de 1500 euros. O programa terá a duração de dois meses.

Fonte: Computerworld

 

Speed dating empreendedor? Sim, existe.

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2016-06-28

Untitled design (71).png

Este conceito pode não ser novo mas começa a tomar novas proporções no meio empresarial, mais propriamente entre empreendedores e possíveis investidores, clientes ou parceiros. Tendo em conta os dias de hoje, estes business speed dating podem ser o bilhete VIP para o sucesso de startups.

Como funcionam?

Em poucos minutos, normalmente reuniões entre 5 a 10 minutos, o empreendedor tem que ser capaz de fazer o pitch do seu negócio, criar parcerias, convencer um investidor ou angariar um cliente.

Saiba mais aqui.

Startups portuguesas finalistas em Silicon Valley

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2016-05-20

Magikbee e Performetric, estão entre os finalistas da World Cup Tech Challenge, competição mundial que decorre a 1 de junho em Silicon Valley. As startups portuguesas estão presentes no evento com projetos que foram considerados pela organização sem fins lucrativos, Silicon Valley Forum, pertencentes à próxima geração de empresas tecnológicas emergentes.

As duas startups, integradas na Startup Braga, além dos seus projetos estarem na competição vão contar com investidores de capital de risco da cidade, administradores de várias empresas e órgãos de comunicação social.

Magikbee, desenvolveu uma tecnologia interativa que combina brinquedos tradicionais com as novas tecnologias, brinquedos de madeira que interagem com o iPad sem precisar de contacto físico.

Performetric, desenvolveu um sistema de monitorização de fadiga mental, o objetivo principal é melhorar a qualidade de vida e o desempenho individual dos seus utilizadores. Em contexto empresarial, pretende melhorar a eficácia dos colaboradores.

WOrldCup.jpg

Fonte: Observador

Guess What e Improve criam fundo de um milhão para start-ups

Renato Povoas - Managing Partner Comunicação e Marketing 2016-01-21

Guess What, em parceria com a Improve, empresa do grupo Guess What, acabou de criar um fundo de um milhão de euros, a distribuir nos próximos quatro anos por start-ups com ADN inovador e, tendencialmente tecnológico. Os fundos serão alocados em serviços de comunicação e inovação, destacando-se o apoio ao nível da comunicação, processos de internacionalização, obtenção de financiamento, inovação e transformação do negócio, registo de patentes, entre outros relevantes ao crescimento das start-ups apoiadas. A contrapartida deste apoio prevê a cedência de uma percentagem da sociedade ao grupo Guess What, a rever após quatro anos.

Este investimento prende-se com dois aspetos: a crença, da Guess What, no desenvolvimento empresarial através da inovação e, em muitos casos, de base tecnológica, que permitem adicionar valor ao ecossistema de negócio, entre parceiros e, por fim, ao consumidor. Por outro lado, acredita que estas empresas, que arriscam iniciar-se num ambiente económico e empresarial tão desafiante como o atual, têm provavelmente um tremendo potencial para fazer a diferença e estão dotadas de um forte know-how técnico, mas apresentam por vezes lacunas ao nível de recursos complementares à atividade que empresa pretende suprir, com os apoios previstos neste fundo.

A Guess What vai selecionar e apoiar o desenvolvimento de empresas com estas características e necessidades, com a certeza de que, através deste modelo de colaboração, serão parceiros de boas estórias empresariais de sucesso.

Fonte: Meios e Publicidade

Improve.png

 

Alguém tem ideias para o futuro da vida urbana?

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2015-10-06

eia2016

Ericsson Innovation Awards levanta a questão “Como é que podemos transformar as nossas cidades através da tecnologia?” E este é o grande mote da edição de 2016 do concurso global de ideias inovadoras destinado a estudantes de todo o mundo.

Até 30 de Novembro pode inscrever-se, com hipótese de formar equipas de duas a quatro pessoas, a inovação tem que estar presente, aliás é um dos aspetos centrais do desafio. A 18 de Dezembro são anunciados os 10 semifinalistas que vão ter o apoio de dois especialistas Ericsson para poderem desenvolver um plano de negócios adequado e um produto viável, a custo reduzido.

A equipa com a melhor ideia receberá 25 mil euros, ao segundo lugar serão atribuídos 15 mil euros e a quem ficar com o terceiro e quarto lugar terá destinado mil euros.

“Assegurar que as nossas cidades são criativas, conectadas e sustentáveis é um grande desafio, mas também uma oportunidade de melhorar a vida de milhares de milhões de pessoas, a par da saúde e futuro do planeta”, argumenta a empresa. É por isso que a edição deste ano do Ericsson Innovation Awards centra-se na promoção das tecnologias de informação e comunicação (TIC) como ferramentas para melhorar a qualidade de vida nas cidades.

A edição 2015 do prémio teve como tema “O Futuro da Educação”. A equipa vencedora, da Alemanha, desenvolveu uma plataforma de auto-desenvolvimento que combinava conceitos como e-learning, aulas em vídeo de universidades reconhecidas, uma comunidade de talento e formação, certificações, mapa de objetivos, assim como um motor de pesquisa e emparelhamento de empregos.

Fonte: Revista Smart Cities

Miss Can, conservas ganham prémio Indústrias Criativas

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação 2015-08-11

Miss Can, startup ligada ao sector das conservas, foi o vencedor do Prémio Nacional de Indústrias Criativas, promovido pela Super Bock e pela Serralves.
Este ano o prémio de 25 mil euros foi atribuído a Miss Can, que concorria na categoria turismo e património, um projeto que “nasceu da vontade de três amigos em recuperar a tradição familiar ligada à indústria conserveira, criando um negócio moderno com a dedicação de outros tempos”. As conservas de sardinha, cavala e atum, utilizam um método artesanal (peixe cozido a vapor), mas com embalagens modernizadas “nos quais se encontra a história desta indústria, curiosidades históricas de acordo com cada tema e sugestões de receitas”.
A Miss Can vai representar Portugal no Creative Business Cup, que se irá realizar a 17 e 18 de novembro em Copenhaga (Dinamarca), de onde irá emergir o melhor empreendedor do setor a nível mundial, entre mais de 50 países participantes.miss can boites

Plataforma de registo da disfagia vence Start Aveiro Region 2015

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2015-07-14

A Universidade de Aveiro, em parceria com a plataforma Massivemov Crowdfunding, no âmbito da  Incubadora de Empresas da Região de Aveiro (IERA), promoveu o concurso de ideias de negócio Start Aveiro Region 2015, que decorreu de 10 de março a 30 de junho. O Start Aveiro Region 2015 pretende estimular o aparecimento de ideias de negócio inovadoras e com elevado potencial de aplicabilidade, que contribuam para o desenvolvimento económico da Região de Aveiro.Start Aveiro Region

O projeto vencedor foi uma plataforma de registo de avaliação da dificuldade de deglutição de alimentos ou bebidas, denominado Disfagi.

O Disfagi consiste no desenvolvimento de uma plataforma (com acesso online ou local) de registo eletrónico de avaliação da disfagia, de informação e apoio terapêutico a doentes que estão em unidades de saúde ou no domicílio, foi o único projeto que conseguiu 100% do financiamento solicitado na plataforma Massivemo, condição necessária para passar à fase seguinte do concurso Start Aveiro Region. A ideia da criação da DISFAGI nasceu da necessidade de melhorar a eficiência dos cuidados prestados a utentes com sinais e sintomas de Disfagia, durante a prática profissional da promotora Rosa Henriques, formada em Terapia da Fala pela Escola Superior de Saúde da UA, e Vítor Ferreira, formado em Engenharia Informática pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP). Este projeto surgiu com os objetivos os  de melhorar a eficiência dos cuidados de saúde prestados a utentes com Disfagia, potenciando a qualidade de vida dos mesmos e reduzindo os custos (internamento, reabilitação e medicação) para as instituições de prestação de cuidados de saúde.

Para além do projeto Disfagi, no evento “IERA – Impacto gerado, oportunidades e desafios 2020”, foram ainda apresentados os projetos Jornalix, ProfitApple, Team U&Us e Vitaplena.

2140projDesc456cz77tq