fbpx

Governo

Governo quer mais ideias inovadoras para o turismo

Msousa Turismo e Lazer 2018-11-14

De carros elétricos para passeios turísticos com câmaras incluídas, para partilha da experiência nas redes sociais, às aplicações que disponibilizam um guia pessoal: são já muitas as ideias de negócios no setor do turismo, alimentadas pelos números que confirmam este como um setor essencial para a economia nacional.

É também por isso que o Governo quer que sejam ainda mais. Para isso, propõe reforçar a verba disponibilizada para o efeito, passando de um milhão de euros para 1,5 milhões atuais. O objetivo é simples: incentivar a criação de mais startups na área do turismo.

Na prática, a ideia é passar das 350 startups apoiadas por 15 programas específicos, o que aconteceu durante este ano, para a aceleração de 450 empresas, uma informação que foi dada à revista EXAME pela secretária de Estado do Turismo.

A mesma fonte revelou ainda que Portugal foi escolhido pela Organização Mundial do Turismo como parceiro institucional para um concurso de aceleração de startups a nível global, tendo o mesmo objetivo: fazer crescer o turismo. O que significa que o nosso país será o anfitrião das três startups vencedoras do concurso, para que possam desenvolver o seu negócio em Portugal.

Startup Voucher – Empreendedorismo com incentivos fiscais

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2016-06-07

e565ce_9348a1f6264144729c0f346aba2e54dd-mv2.jpg

De acordo com a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo, quem quiser investir em startups a partir de agora vai poder declarar os montantes quando preencher a declaração de IRS. O Programa Semente vai permitir que investidores, que apoiem projetos entre 2.000 e 100 mil euros, tenham benefícios fiscais num valor máximo de 100 mil euros. Esta é uma das 15 iniciativas do Startup Portugal que o Governo lançou esta segunda-feira.

As candidaturas para o Startup Voucher (verba mensal para jovens universitários ou licenciados) abrem em setembro de 2016, este conta com 10 milhões de euros para distribuir em bolsas mensais de 690 euros durante um ano. Outros 10 milhões estão reservados para o Vale Incubação, tendo como objetivo apoiar empresas a desenvolver as suas ideias de negócio num programa de aceleração ou numa das incubadoras que façam parte da rede nacional.

Para além disto, existem ainda novidades nas Calls da Portugal Ventures (sociedade de capital de risco pública), a abertura de candidaturas para mais investimentos setoriais e uma cal destinada a startups.

No que toca à internacionalização das startups, o Governo quer assegurar a participação de projetos portugueses nos maiores eventos tecnológicos do mundo, nas maiores feiras nacionais setoriais e quer que estas acompanhem membros do Governo em visitas oficiais ao estrangeiro.

Fonte: Observador