fbpx

StartUP Portugal – A nova ‘revolução’ nacional para o empreendedorismo

Foi em 2016 que o Governo lançou o programa StartUP Portugal, uma estratégia nacional para o empreendedorismo. Desde então, o País tornou-se espaço de inovação, com o nascimento de muitas e diferentes startups, com incubadoras dispostas a fazer nascer negócios, com mais desenvolvimento tecnológico, mais investimento.

Com uma Rede Nacional de Incubadoras que conta já com 135 entidades certificadas, que dão apoio direto a mais de 3.000 startups, podia pensar-se que está tudo feito. Mas o Governo quer mais. E, por isso, anunciou recentemente um conjunto de medidas que visam “dar um novo impulso à Estratégia Nacional para o Empreendedorismo”. São, ao todo, entre relançamentos e introdução de novidades, assim como o anúncio de novos investimentos.

  • Startup Hub – Plataforma digital de mapeamento e matchmaking – É uma plataforma digital de mapeamento das startups e das incubadoras nacionais, que incluirá informação centralizada sobre todo o tipo de apoios disponíveis.
  • Pitch Voucher –  Trata-se de uma senha de acesso atribuída às startups, para que possam ter a oportunidade de desenvolver relações comerciais/empresariais com empresas corporates, procurando garantir financiamento e novos clientes, assim como mentoring.
  • Formação para Empreendedores – Cursos de formação destinados a empreendedores e colaboradores de startups, comparticipados a 90% através de fundos COMPETE.
  • InovGov – soluções inovadoras de startups para o setor público – Pretende-se aproximar as startups do setor público e promover soluções inovadoras nesta área.
  • Open Kitchen Labs – A ideia é apoiar startups que pretendam testar novos produtos, serviços ou conceitos na área da restauração.
  • Energy Challenge – Apoio a startups de base tecnológica para desenvolverem ideias e projetos inovadores na área da energia, que ajudem a resolver desafios tecnológicos existentes.
  • Inov Comércio – O comércio em Portugal é constituído predominantemente por empresas de pequena dimensão, com dificuldade para captar novos talentos e fomentar a modernização. Através do Inov Comércio, pretende-se lançar concursos para valorizar ideias e projetos inovadores neste setor.
  • Linha ADN Start Up – O objetivo é criar um apoio financeiro, através de uma linha de crédito, para startups e microempresas na fase inicial do seu ciclo de vida. Esta linha tem 10 milhões de euros disponíveis para empresas com quatro ou menos anos.
  • KEEP- Key Employee Engagement Program – Incentivo fiscal para os trabalhadores das empresas do setor tecnológico com menos de seis anos, tendo em vista o estímulo à competitividade e à capacidade de retenção de quadros altamente qualificados.
  • Instrumentos de dinamização e coinvestimento com incubadoras e aceleradoras – Criação de apoios a programas de aceleração e linhas de cofinanciamento com incubadoras e aceleradoras, num modelo idêntico às linhas desenvolvidas com Business Angels e Capitais de Risco.
  • Capital + aceleração – Criação de uma linha de financiamento a operações de entrada em capital, que permita acelerar o crescimento das startups, melhorando o seu acesso a diferentes mecanismos de financiamento.
  • Linhas de financiamento para projetos tecnológicos no Turismo – Lançamento de instrumentos de apoio ao desenvolvimento de projetos tecnológicos no Turismo, incluindo soluções inovadoras na área da digitalização de experiências turísticas.
  • CALL MVP – Minimum Viable Products – Visa possibilitar o acesso a investimento de capital de risco por parte de projetos de novas ideias, tecnologias, produtos ou serviços.
  • METRO Accelerator for Hospitality powered by Techstars – Captação para Portugal do programa de aceleração internacional da rede Techstars – uma das maiores aceleradoras mundiais – focado na utilização de tecnologia no setor da hospitalidade (alojamento & restauração).
  • Espaço empresa para startups – Fast track to land in Portugal – Criação de dois pontos de atendimento para empreendedores estrangeiros, onde se garanta atendimento bilingue, assim como um pacote específico de informação em várias línguas para startups que se pretendam instalar em Portugal.
  • Tech Visa – Atração de talento para Portugal – Programa direcionado para empresas tecnológicas e inovadoras, inseridas no mercado global, que pretendam atrair novos quadros altamente qualificados e especializados para Portugal, que sejam nacionais de países não inseridos no Espaço Schengen.
  • Digital Hackathons nas áreas do Comércio, Turismo e Indústria – Promover a realização de Hackathons temáticos para acelerar a transformação digital nos setores do Comércio, Turismo e Indústria.
  • Abrir Centro de Inovação no Turismo com uma Digital Academy e uma Incubadora especializada no setor – Criar um centro dinamizador de inovação de turismo, envolvendo os diversos stakeholders nacionais e internacionais do setor.
  • Think Tank de apoio ao Mercado Único Digital para a Europa – Criação de um think tank para analisar e desenhar medidas para ajudar as startups a escalarem dentro do mercado europeu, acelerar significativamente a criação do Mercado Único Digital e afirmar Portugal na liderança de uma política inovadora para o empreendedorismo digital na Europa.

Fonte: Governo de Portugal