fbpx

Primeiro shopping virtual é… português!

Renato Povoas - Managing Partner Comércio 2012-01-11

Fonte: Diário Económico

Brandsbreeze, o primeiro shopping virtual do mundo abriu, em finais de Novembro. “Este é um espaço online, onde as marcas estão presentes de forma permanente e mantendo a sua identidade e valores, visto serem replicadas para o online em 3D, baseando-se num loja física”, explica Miguel Diniz, um dos responsáveis por este projecto, integralmente português.

Na prática, basta aceder ao site (www.brandsbreeze.com) e entrar nas lojas que quiser, sem o mínimo esforço. No limite, três dias depois entregam-lhe as compras em casa. Mas isso já se pode fazer nos sites das próprias marcas, dirão os mais cépticos. “Sim, mas numa loja monomarca estamos limitados somente ao tipo de produto que a marca vende e aos produtos dessa marca, quando vamos para um espaço comercial com uma oferta vasta, podemos comprar, por exemplo, o chamado ‘look’ total, desde o chapéu, passando pelo têxtil aos sapatos e aos acessórios e ainda encontramos produtos e serviços como óptica, relojoaria, arte, decoração, cosmética, perfumaria”, explica Miguel Diniz. Ou seja, é igual aos centros comerciais físicos: num único espaço encontra toda a oferta que procura.

Para já, “estão a funcionar para o mercado ibérico 12 lojas, e estão previstas abrir durante este mês mais oito lojas”, garante Miguel Diniz. E entre as lojas que vão abrir este mês estão a Parfois, Boticário, Companhia das Quintas (Vinhos) e Everything is New (bilheteira). “O objectivo até final da estação é completar os dois primeiros pisos do shopping, ou seja 24 lojas”, diz o responsável, que continua: “e começar a próxima estação, Primavera-Verão 2012, com três pisos completos ou seja 36 lojas. Aliás, temos cerca de 15 lojas adjudicadas para a próxima estação e várias marcas que estão a ser fechadas em termos de proposta.”

Algumas destas propostas são de marcas como Ipanema, Melissa, Lanidor, Quebramar, Globe, LA Kids, Casa Batalha ou Nike, que vão estar disponíveis já a partir da próxima estação. Mas, a ideia é também entrar em segmentos que não moda, como a electrónica, livros e supermercado. A ideia é que seja possível fazer todas as compras (mesmo todas!) sem ter de sair de casa.

E sem ter de se preocupar a logística para tudo isto funcionar na perfeição. Afinal, os gestores que estão à frente do projecto Brandsbreeze são os mesmos que estão responsáveis pelo tão afamado Clube Fashion, ‘website’ de oportunidades ‘lifestyle’, que é já o maior sítio de ‘e-commerce’ português com mais de 1,5 milhões de membros inscritos. Na sequência do Clube Fashion e da sua relação de seis anos com muitas das principais marcas de moda, e à medida que a procura aumentou, surgiu a ideia de desenvolver “um portal onde fosse possível inserir essas marcas, para que o investimento em IT e marketing online fosse compensatório e permitisse uma rentabilidade elevada”, explica Miguel Diniz.