fbpx

Orientações para um bom pitch (parte 1)

Para conseguirmos vender bem a nossa ideia precisamos acima de tudo de acreditar nela, mesmo quando os outros se mostram um pouco reticentes. Devemos pensar na ideia como algo promissor que fará a diferença no contexto em que se insere.

Nem sempre é fácil convencer os outros das nossas ideias. Para isso devemos dotar-nos de boas capacidades de comunicação e dominar os assuntos em questão para que os possamos abordar em qualquer situação. Devemos então ser persuasivos e assertivos no que queremos transmitir. Quase sempre a simplicidade é meio caminho andado para convencer uma audiência e obter sucesso!

Um pitch é a oportunidade que cada empreendedor tem para apresentar e explicar o seu projeto a um potencial investidor, parceiro de negócio, painel de júri ou simplesmente ao público presente.

 

É essencial transmitir:

Qual é a ideia/oportunidade? O seu discurso deve ir direto ao assunto. Assim, deve começar por apresentar a tua ideia antes de falar das suas especificidades.

Quais são as características desse produto ou serviço? Poderá depois, de uma forma muito breve e simples, dar a conhecer as características do seu projeto mostrando quais os seus pontos fortes e as suas debilidades.

O que se pretende com o projeto? Onde quer chegar?

É também importante demonstrar quais as perspetivas de crescimento e de futuro para o projeto, visto o mesmo não ser estanque à ideia inicial.

 

Uma boa apresentação num pitch deve ter os seguintes ingredientes:

Ser verdadeira:

  • Qual a ideia (projeto)?
  • Quais as vantagens?
  • Que problemas irá resolver?
  • Que necessidades vai colmatar?
  • Qual o público-alvo?

Ser vencedora:

  • Que características da equipa são mais relevantes para o projeto?
  • Quais as motivações da equipa?

Ter valor:

  • O que é necessário para o projeto ter sucesso?
  • Para que vai servir?

 

E como transmitir a mensagem?

 

O estilo de discurso a utilizar determina o sucesso da apresentação. Deve assim:

  • Ser direto. Estrutura o discurso para que tenha um princípio, meio e fim e não repetir ideias;
  • Ser emotivo. Colocar “paixão” no discurso para que o público perceba que o promotor está motivado para o realizar e é a pessoa certa para o levar em frente;
  • Cativar a audiência. Fazer com que a audiência se concentre no discurso e ignore tudo o resto;
  • Começar e acabar bem. Começar com uma história / uma questão / um ponto de vista; acabar relembrando o princípio / uma citação / o passo seguinte / uma ação;
  • Evitar “ahm… hum… ahm… hum…”.