fbpx

Novo programa de aceleração quer combater a escravatura moderna

Atualmente, existem mais de 40 milhões de pessoas que, em todo o mundo, vivem sob alguma forma de escravatura. Destas, mais de metade são vítimas do trabalho forçado dentro das cadeias de produção. É para ajudar a concretizar mudanças sociais que surgiu a FAROL, o primeiro programa de aceleração concebido para apoiar projetos que contribuam para o fim da escravatura moderna.

Assim, através da inovação colaborativa, a FAROL pretende desenvolver e acelerar soluções inovadoras em prol dos Direitos Humanos, bem como construir uma rede de networking. Desta forma, os participantes do programa vão ter direito a sessões de mentoria e a workshops sobre vários tópicos, bem como acesso a um programa de conferências que inclui especialistas e representantes de diversas organizações e marcas.

Com uma duração de seis meses, a FAROL está aberta a startups em fase de pré-lançamento e em fase inicial, mas também a projetos de Organizações Não Governamentais e organizações que trabalhem em Blockchain, Inteligência Artificial, Machine Learning, Processamento de Linguagem Natural, Reconhecimento de Imagem, Big Data e Geolocalização. 

Está interessado em candidatar-se? Então submeta a sua inscrição, aqui, até ao dia 31 de agosto. Após os resultados serem anunciados, decorrerá, entre 6 de outubro de 2021 e 31 de março de 2022, o programa de aceleração, repleto de workshops, palestras e mentoria, e dia 5 de abril de 2022 terá lugar o Demo Day, onde todas as startups participantes vão apresentar o trabalho desenvolvido até então.

A FAROL resulta da colaboração da Partnerships For Humanity, da Beta-i e da Fundación Española Por Los Derechos Humanos, contando ainda com o apoio do Governo através do programa Portugal Inovação Social. Além disso, a FAROL tem também a participação da TrustLaw, da Parley For The Oceans, da Walk Free e da The Fair Cobalt Alliance.