fbpx

Insetos que alimentam o mundo

Como vamos alimentar 9,7 mil milhões de pessoas em 2050?

Foi esta a pergunta que deu origem a uma nova startup nacional, cujo nome deixa antever a resposta – insetos.

A Portugal Bugs nasce de um projeto de Guilherme Pereira, aluno da licenciatura em Ciências de Engenharia – Perfil em Engenharia Alimentar da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

No final do curso e respondendo ao desafio de um professor, criou o projeto “Desenvolvimento de uma barra energética à base de proteína de inseto”.

Foi a partir dele que decidiu lançar-se na aventura de alimentar o mundo através de… insetos.

Para isso, dedica-se não só à criação de insetos para serem utilizados na alimentação humana, como ao desenvolvimento de produtos alimentares em que estes são um dos principais ingredientes, e entre os quais se incluem barras, massas e pães proteicos.

Uma ideia reconhecida pela Associação Empresarial do Porto na edição 2018 do Prémio Norte Empreendedor, iniciativa que reconhece anualmente as melhores ideias de negócios com origem no Norte de Portugal.

E porquê insetos na alimentação?

Fontes de vitaminas, proteínas de rápida digestibilidade e aminoácidos essenciais, exigem muito menos consumo de água do que a produção animal, assim como menos espaço, sendo o seu consumo tão antigo como o homem, existindo zonas do globo onde é mesmo uma prática comum.

Assim, a Portugal Bugs torna-se em mais um grande passo na direção da sustentabilidade.

É isso que Guilherme Pereira deseja por cá, convidando todos a provar, para já, a sua Peanut&Honey Ento Bar.

Fonte: http://portugalbugs.pt/