fbpx

Inovar através da colaboração

Msousa Empresas 2018-10-03
É um dado adquirido que os tempos atuais são de grande disrupção e transformação. Nunca como hoje assistimos a uma dinâmica tão forte na criação de novas empresas, aparecimento de novas tecnologias ou no surgimento de modelos de negócio diferenciadores.
São muitos os exemplos de empresas que em poucos anos através da inovação ganham relevância empresarial e mediática, ameaçando concorrentes até aí confortavelmente instalados em posições dominantes. Os “gigantes” deixaram de poder dormir descansados porque, num qualquer lugar do mundo, um pequeno grupo de pessoas poderá estar a trabalhar em algo que os irá destruir a curto-médio prazo.   
Despertas para esta realidade as grandes empresas estão cada vez mais disponíveis para colaborar com outras entidades e organizações (Associações empresariais, incubadoras, aceleradoras, pólos tecnológicos, universidades, entre outras) de forma a detetar oportunidades e projetos que possam complementar a sua oferta. Por outro lado são cada vez mais comuns os programas corporativos de inovação aberta onde as empresas procuram soluções concretas para os desafios que enfrentam.
No paradigma empresarial todas estas interações – que complementam os departamentos internos de Inovação e R&D – são vitais para reduzir o risco de aparecimento e a afirmação de novos players. É assim crucial que as empresas saibam gerir a inovação da melhor forma através de metodologias e ferramentas específicas, tendo por base uma estratégia e um plano de atividades. 
Os gestores devem ter a ambição não só de gerir como de gerar novos negócios, complementares à sua atividade principal ou mesmo fora deste core. Isto beneficia a empresa a diversos níveis: mais faturação, melhores resultados liquídos, alargamento do portefólio, redução do risco de nova concorrência, sinergias operacionais, maior notoriedade e reputação, retenção e atração de novos talentos, entre outras. Neste olhar para além das fronteiras naturais das empresas o melhor caminho é procurar start-ups cuja atividade possa ser uma mais-valia.
O foco, a aversão ao risco, a capacidade de superar o erro, a dinâmica e a ambição dos empreendedores são características determinantes para elevar a sua empresa até ao próximo nível.
Vai dizer que não?