fbpx

Incubadora espacial portuguesa tem 600 mil euros para startups

A tecnologia espacial tem assumido um papel cada vez mais relevante, uma vez que pode ser utilizada para dar resposta às mais diversas necessidades, independentemente do setor em questão.

Por isso, se está a desenvolver projetos ligados à tecnologia e dados da indústria espacial, saiba que o Centro de Incubação de Negócios da Agência Espacial Europeia (ESA BIC) em Portugal está à sua procura!

Coordenada pelo Instituto Pedro Nunes, a incubadora espacial portuguesa quer apoiar até 12 startups nacionais, disponibilizando, no total, um financiamento de 600 mil euros. Assim, cada empresa receberá um incentivo financeiro no valor de 50 mil euros, tendo ainda acesso a um suporte técnico e de negócio. Além disso, este programa de incubação também poderá ser uma mais valia no que respeita à rede de networking e ao relacionamento com investidores internacionais.

Parece-lhe um desafio interessante? Se sim, saiba que pode submeter o seu projeto numa das três datas disponíveis para o efeito, sendo estas 13 de julho, 14 de setembro e 6 de novembro. As candidaturas podem ser feitas aqui até à meia-noite.

Este ano, a rede do ESA BIC Portugal foi aumentada de três para 15 incubadoras em todo o território nacional, incluindo os Açores e a Madeira. Desta forma, segundo a incubadora do espaço, o alargamento da rede pretende “apoiar empresas que integrem tecnologia espacial em aplicações terrestres, em áreas como a saúde, energia, transportes, segurança e vida urbana, mas também empresas que pretendem entrar no mercado espacial comercial”.

Assim sendo, as startups que forem selecionadas vão poder desenvolver o seu trabalho em diversas incubadoras espalhadas por todo o País, como, por exemplo, na IPN Incubadora (Coimbra), Startup Lisboa, Startup Madeira (Funchal), UPTEC (Porto) ou CEiiA (Matosinhos).

É importante referir que pelo ESA BIC Portugal já passaram empresas bastante inovadoras, como é o caso da Theia, da Stratio, da Tesselo e da Undersee. Estas, apesar de terem como base a tecnologia espacial e dados de satélite, desenvolveram soluções aplicadas a outros setores, nomeadamente à segurança, agricultura e ecologia.

Nos últimos cinco anos, o ESA BIC Portugal já incubou 30 empresas, criou mais de 100 novos postos de trabalho e gerou um volume de negócios total de cerca de cinco milhões de euros.