fbpx

Governo apresenta novos apoios para startups

Ao iniciar novos negócios, os empreendedores debatem-se, muitas vezes, com diversos obstáculos. Seja na gestão da startup, no tratamento da burocracia ou na dificuldade de obter um financiamento inicial, estes procuram sempre algo que os auxilie nesta etapa. 

Foi com o objetivo de colmatar algumas destas necessidades que o Governo e a Startup Portugal apresentaram novas medidas de apoio ao empreendedorismo nacional. Destas podemos destacar o E-Residency, o Balcão do Empreendedor, o novo Startup Hub e o programa +CO3SO Digital

Sendo uma das principais prioridades do governo de António Costa para o empreendedorismo, o E-Residency surge como um programa de residências eletrónicas, atribuindo a cidadãos não residentes a possibilidade de usufruírem de serviços públicos nacionais. Tal medida permitirá impulsionar a economia e o perfil internacional do País, “através da criação de empresa com número fiscal português ou da abertura de contas bancárias”, lê-se no comunicado divulgado pela República Portuguesa.

Desta forma, ao complementar iniciativas como o Startup Visa ou o Tech Visa, o E-Residency pretende envolver mais de cinco mil empreendedores e investidores estrangeiros. 

Tendo lugar nas novas instalações da Startup Portugal, em Lisboa, e funcionando como uma “One Stop Shop”, será também criado um Balcão do Empreendedor, que visa prestar apoio a cidadãos nacionais e estrangeiros em assuntos relacionados com o empreendedorismo tecnológico.

Já no que respeita ao novo Startup Hub, o Governo afirmou que pretende que este funcione como uma “plataforma centralizada agregadora de toda a informação relativa ao ecossistema de startups, incubadoras e venture capitals”. 

Por fim, mas não menos importante, foi também apresentado o novo programa “+CO3SO Digital”, partindo da iniciativa +CO3SO (Constituir, Concretizar e Consolidar Sinergias e Oportunidades). 

Resultando de um investimento de 76 milhões de euros, este programa foi desenhado para promover a aceleração do desenvolvimento do interior de Portugal. Assim, pretende-se que tal possibilite ligações mais estreitas entre tecnológicas e empresas tradicionais, bem como a criação de postos de trabalho qualificados.

Além de todas estas novidades, o Governo pretende alargar o programa de incentivo fiscal KEEP (Key Employee Engagement Program) e o programa Semente (destinado a apoiar investidores individuais que pretendam entrar no capital social de startups inovadoras).