fbpx

Faltam mulheres no mundo empreendedor

Improve Startups 2019-05-15

Os planos estão traçados, os projetos delineados e a aposta definida: a Europa quer mais empreendedores.

E quer também mais mulheres na liderança, uma vez que, aqui, a diferença de género continua a ser uma realidade. E é isso mesmo que revela um artigo recentemente publicado na revista Forbes, que alerta para um problema que continua por resolver.

Garante a revista que, citando o 2º European Start-up Monitor, apenas 14,8% dos fundadores de startups são do sexo feminino.

A Lituânia destaca-se aqui como a estrela da companhia, ao apresentar a maior taxa de mulheres empresárias de todos os estados membros da União Europeia (UE).

Facto ao qual se junta outro: as startups digitais fundadas por mulheres superam as que são lideradas por homens. No entanto, isso não pesa na hora da decisão de investir, com uma maior aposta a residir nos negócios liderados por elementos do sexo masculino.

Mais ainda, menos de 8% dos investidores e business angels da Europa são mulheres.

O problema pode estar… nelas. É que, de acordo com os dados disponibilizados pela Comissão Europeia e pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, as mulheres apresentam um nível de educação igual ou até mesmo superior ao dos congéneres do sexo oposto.

No entanto, tudo muda no que diz respeito à confiança. Elas continuam a sentir que têm menos habilidades, conhecimento e experiência para iniciar um negócio.

Isso e o medo do fracasso, que é bem mais forte entre os elementos do sexo feminino: os dados da UE revelam que 52% das mulheres indicam que o medo do fracasso as impede de iniciar um negócio, face a 42% dos homens.

Fonte: Forbes