Empresa de Leiria lança LCD transparentes espelhados

Renato Povoas - Managing Partner Comunicação e Marketing, Entretenimento 2011-12-13

Fonte: Diário Digital

Uma empresa de Leiria está a iniciar a comercialização de LCD transparentes espelhados, capazes de detetarem movimentos e o género da pessoa refletida, disse à Lusa o diretor-geral da Sendae, Pedro Azevedo.

Trata-se de um LCD que consegue criar um efeito holográfico e com grande potencial ao nível da interatividade, sublinhou aquele responsável, revelando que a empresa trabalha com a Universidade do Minho ao nível do ‘software’.

Uma aposta passa pelo Reino Unido, que “é o maior mercado na área do digital fora de casa e está sedento deste tipo de produtos por causa das Olimpíadas de 2012 [em Londres]”, realçou o diretor-geral da empresa.

Com o LCD transparente espelhado, mais vocacionado para aplicações comerciais, “será possível a pessoa ver-se ao espelho quando ensaia uma peça de roupa numa loja, enquanto o LCD lhe transmite informação sobre o produto ou acessórios”, explicou Pedro Azevedo, que é um dos três fundadores da Sendae.

Isto é possível porque o LCD integra um ‘software’ que deteta movimentos e possui a capacidade de identificar o género da pessoa espelhada.

O empresário frisou que “os ecrãs transparentes espelhados podem assumir-se como uma ferramenta de comunicação, mas tanto empresas como escolas podem usar esta nova tecnologia, já que tem todo esse potencial interativo”.

 

Fundada em Leiria em fevereiro deste ano, “centrada só na tecnologia do LCD transparente”, a Sendae, segundo Pedro Azevedo, já conseguiu garantir preços para competir com fabricantes asiáticos.

“O valor base do LCD espelhado de 22 polegadas rondará os 930 euros e o de 46 polegadas os 2.115 euros”, disse.

O LCD, que pode surgir na forma de um cubo ou de uma caixa, fixo numa parede ou num balcão, está a ser negociado, para além do Reino Unido, nos mercados russo, espanhol, norte-americano, francês, chileno e australiano, informou o diretor-geral da Sendae.

O investimento global, nesta fase, está estimado em 80 mil euros, segundo a empresa.

“A verba respeita sobretudo à parte da investigação, ao desenvolvimento do produto, à fase de testes e à fabricação de protótipos, mas também a ações de marketing e promoção interna e externa”, explicou Pedro Azevedo, acrescentando que “O LCD é fruto de várias parcerias com fornecedores”, mas montado na própria empresa.

“A carteira de clientes que for angariada irá posteriormente determinar o montante a investir no fabrico”, precisou o responsável da Sendae que, para além dos três sócios, conta com mais cinco colaboradores.