Diagnóstico da depressão à distância de um exame de sangue

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2017-08-02

E se, para diagnosticar a depressão, não fosse preciso mais do que uma simples análise ao sangue? É esta a proposta de uma equipa do i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (UP), que quer facilitar a vida a quem sofre com a doença e a quem tem que a diagnosticar.

Chama-se ‘MyRNA Depression Diagnostics’ e trata-se de “um kit para detetar e quantificar um painel específico de biomarcadores moleculares numa amostra de sangue, o que permite um diagnóstico quantitativo e uma melhor monitorização da doença”, explica ao site de notícias da UP Susana Santos, um dos elementos da equipa que está a trabalhar nesta inovação. Uma forma de dar mais facilmente nome a um problema que afeta milhares de portugueses e milhões de pessoas em todo o mundo, e que é possível graças à análise feita por um algoritmo, que fornece os resultados entre 24 a 48 horas após a colheita de sangue.

A ideia acabou mesmo por ser escolhida para participar no programa COHiTEC deste ano, uma iniciativa da COTEC Portugal – Associação Empresarial para a Inovação, que visa dar apoio na avaliação do potencial comercial das ideias e ajudar a transformá-las em produtos.

Fonte: Notícias Universidade do Porto

 


2 comentários

Photo
Maria João 2017-09-06

Quais biomarcadores? Em que estudos se basearam? Poderiam facultar?

Photo
renatopovoas 2017-09-07

Cara Maria João, Este artigo foi baseado numa notícia divulgada pela Universidade do Porto, pode consultar a notícia original através deste link: https://noticias.up.pt/i3s-desenvolve-ideia-inovadora-para-diagnosticar-a-depressao/ Obrigado!


Comments are closed.