Conversas de saúde descomplicadas

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2017-11-23

Na relação médico/doente, a comunicação é essencial. Mas há momentos em que esta deixa muito a desejar. Seja porque o especialista usa termos que o doente não conhece, porque este último está desatento e não retém as informações, ou simplesmente porque o ‘ruído’ presente na comunicação o impede. É para dar resposta a estes desafios que nasce a HealthTalks, uma aplicação desenvolvida por dois investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), do Porto, e que tem como objetivo ajudar os doentes e melhorar a informação referente à sua saúde.

“Relembrar as informações que o seu médico lhe deu e perceber melhor as suas condições médicas” são as duas grandes missões desta tecnologia nacional, cujas principais funcionalidades passam pela gravação do áudio de uma consulta médica, a transcrição da mesma para texto, para que mais tarde seja fácil recordar as recomendações médicas, a ‘tradução’ dos termos médicos, ajudando os doentes a perceber do que se trata, e a gestão e organização das consultas.

Funções que se transformam em vantagens, às quais se juntam a facilidade de ter toda a informação (as consultas, a informação pessoal de saúde, etc) concentrada num só sítio, ou seja, na aplicação, assim como a facilidade de pesquisa, uma vez que a cada consulta pode ser associado o nome do médico e a sua especialidade, o que torna mais simples identificá-la mais tarde.

A privacidade nunca é aqui esquecida, estando toda a informação armazenada apenas no dispositivo, impedindo o acesso por parte de terceiros. E também não se esquece a necessidade de facilitar o uso, para que esta possa ser uma aplicação adaptada a todo o tipo de utilizadores. Para isso, disponibiliza-se também um conjunto de definições que ajudam a desconstruir os termos usados pelos profissionais de saúde.

A aplicação, com versões em português e inglês, está ainda em fase de afinação, mas deverá chegar em breve ao mercado.

Fonte: HealthTalks