fbpx

negócios

Práticas para a deteção de ideias inovadoras

Msousa Startups 2018-05-30

Ideias – como selecioná-las

São várias as técnicas e os mecanismos que facilitam o processo de geração de ideias. Existem muitas sugestões e opiniões. Deixo aqui a minha seleção.

Inspire-se nos modelos tradicionais

Muitas das vezes é através de modelos tradicionais que a inovação acontece e possibilita refrescar ou alargar o portfólio de produtos ou serviços.

Acrescentar valor

Ir ao encontro das necessidades dos clientes com mais valor e a um preço igualmente competitivo.

Substituição de atributos

Este é o processo de dissecar o produto ou serviço nas suas diversas componentes e depois encontrar novas combinações, seja através da eliminação, introdução ou substituição de atributos, tal como uma construção da Lego.

 

Alteração do modelo de pricing

O sistema de pagamento de determinado produto ou serviço pode ditar o sucesso ou insucesso de um negócio. Reinventar o seu formato numa dimensão única e inovadora é o passaporte para um crescimento exponencial da empresa.

Novos canais

Hoje é crucial estar onde o cliente deseja. A transformação digital proporciona inúmeras oportunidades para empresas e marcas, novas ou antigas, inovarem nos seus canais de distribuição, sempre em prol de um cliente mais satisfeito e fiel.

Cruzar setores

O olhar para outros setores e áreas ajuda-nos, em certos casos, a encontrar soluções inovadoras para as nossas necessidades. É por isso fundamental privilegiar um olhar global e não centrado apenas nos nossos concorrentes ou setor.

Novas tendências

Esteja atento e monitorize regularmente as novas tendências e hábitos de consumo. Este seu comportamento permitirá identificar precocemente necessidades e soluções para os seus consumidores.

 

Especialização

Não pense somente em grandes mercados ou milhões de clientes. Muitas das vezes existem nichos esquecidos que valem muito e proporcionam um retorno incrível.

 

Ameaça a combater no mundo dos negócios

Renato Povoas - Managing Partner Empresas, Startups 2018-03-23

Felipe Ost Scherer é sócio da Innoscience, uma empresa de consultoria de Gestão da Inovação. Autor de vários livros, é especialista em administração de empresas e sabe bem do que fala quando se refere ao mundo dos negócios e da inovação. Neste texto, publicado no portal de notícia Exclusivo e que aqui reproduzimos, partilha o entusiasmo com a transformação digital, ainda que receoso sobre os atrasos de alguns setores, que tardam a apanhar o ‘comboio’ da digitalização.

Read More

O empreendedorismo não é um exclusivo das grandes cidades

Renato Povoas - Managing Partner Startups, Telecomunicações e Tecnologia 2017-09-29

O empreendedorismo não tem nem deve ser uma tendência exclusiva às maiores cidades do país. Infelizmente, é o que se tem vindo a assumir: o público associa o empreendedorismo a Lisboa, Porto, e talvez Braga.” O alerta é feito por Francisco Costa Leite, empreendedor e fundador do TheNetwork, uma iniciativa que juntou o tecido industrial e as startups num concelho que costuma estar arredado da ribalta, pelo menos quando o tema é empreendedorismo: São João da Madeira.

Read More

Entrepreneurship School chegou a Lisboa

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2017-05-09

A “Entrepreneurship School”, escola de empreendedorismo da ThinkYoung em colaboração com a Fundação Coca-Cola, chegou esta segunda-feira a Lisboa, esta iniciativa já decorre em 27 escolas em diferentes países e tem três pilares base:

Conhecimento, Motivação e Diversão.

Jovens entre os 18 e os 35 anos que pretendam lançar negócios próprios podem contar com a ajuda de vários empresários até sexta-feira, façam já a vossa inscrição e saibam mais aqui!

Fonte: Observador

 

Growth Hacking, conhece o método?

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2016-07-12

Patrick Vlaskovits, líder da Super Powered e autor do livro “The Lean Entrepreneur”, e Casey Armstrong, especialista em marketing e fundador da FullStackMarketer.com, vieram a Portugal e deixaram alguns conselhos interessantes para quem gere um negócio: conheçam os vossos clientes e não usem métodos tradicionais para produtos inovadores.

Em junho, os dois especialistas estiveram em Portugal e deram uma aula de growth hacking na Beta-i  (associação para promoção do empreendedorismo). Este conceito foi criado em 2010 por Sean Ellis, Hiten Shah e pelo próprio Patrick Vlaskovits e é um método que se baseia em procurar e explorar novos meios e canais de venda de produtos de forma que os negócios cresçam.

Saiba mais aqui.

office-1448219_1920

Finalistas do MBA Awards 2015 são líderes de uma startup portuguesa

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2015-11-25

Awards-Banner--ALL 535.jpg

Luís Martins e Kiruba Eswaran, líderes da startup portuguesa Zaask, estão entre os finalistas dos MBA Awards 2015, este prémio ambiciona destacar o melhor projeto empreendedor do mundo que tenha saído de um mestrado em administração de negócios (MBA). Luís Martins, CEO, e Kiruba Eswaran, director de marketing estão entre os finalistas graças ao seu projeto Zaask, uma plataforma criada para facilitar o processo de contratação de serviços locais que garantiu um lugar na categoria MBA Entrepreneurial Venture Award.

Os MBA Awards visam reconhecer o talento e as contribuições feitas pelas escolas e pelos seus alunos, nos MBA e na comunidade em geral, premiando o que de melhor se faz nas escolas de negócios de todo o mundo, na vanguarda em liderança.

A Zaask supero os mais de oito mil profissionais ativos e cria uma ligação entre os seus clientes e quatro profissionais avaliados, para que sejam apresentados e posteriormente o cliente consiga escolher o que melhor se enquadra nas suas necessidades.

A Zaask faturou em torno de dez milhões de euros em 2014 e as estimativas apontam para que a faturação da empresa supere os 25 milhões de euros este ano.

Esta startup nasceu no “The Lisbon MBA“, na altura em que conheceu o atual diretor de marketing da Zaask. “Ambos percebemos que tínhamos uma visão e objetivos similares a nível profissional: queríamos abrir a nossa empresa. Uma experiência profissional e o pouco tempo disponível fizeram-nos perceber que existia uma lacuna no mercado no que diz respeito a contratar serviços locais, e foi a partir desta necessidade que surgiu o conceito da Zaask, uma empresa criada de raiz e baseada numa plataforma única de que muito nos orgulhamos”.

Fonte: Jornal de Negócios

img_890x500$2015_11_24_13_21_39_269066

Portugal é o terceiro país que mais acelera startups na Europa

Renato Povoas - Managing Partner Startups 2015-06-23

Em 2014, os programas de aceleração de empresas portugueses ajudaram a desenvolver 123 novos negócios. A liderar a tabela está o Reino Unido, com 599 startups aceleradas, e em segundo lugar está França, com 212. Os dados foram revelados no European Accelerator Report 2014, promovido pela Fundacity, uma plataforma online que liga startups a investidores de todo o mundo.BETA-I
A Beta-i (Associação para a Promoção do Empreendedorismo e Inovação), que desenvolve o programa de aceleração Lisbon Challenge, é a quarta aceleradora mais ativa da Europa, tendo ajudado a desenvolver 71 empresas em 2014.