fbpx

Saúde e Bem-Estar

Insetos que alimentam o mundo

Como vamos alimentar 9,7 mil milhões de pessoas em 2050?

Foi esta a pergunta que deu origem a uma nova startup nacional, cujo nome deixa antever a resposta – insetos.

A Portugal Bugs nasce de um projeto de Guilherme Pereira, aluno da licenciatura em Ciências de Engenharia – Perfil em Engenharia Alimentar da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

No final do curso e respondendo ao desafio de um professor, criou o projeto “Desenvolvimento de uma barra energética à base de proteína de inseto”.

Foi a partir dele que decidiu lançar-se na aventura de alimentar o mundo através de… insetos.

Read More

HydrUStent – Como reduzir os índices de infeção

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar, Telecomunicações e Tecnologia 2018-03-19

É de uma empresa portuguesa que vem a ideia de melhorar a vida dos doentes com pedras no rins e dos médicos que os tratam, com o HydrUStent, um dispositivo médico biodegradável destinado a reduzir os índices de infeção e acelerar os tratamentos associados a problemas urológicos.

Problemas que obrigam à colocação de um stent e que exigem uma segunda intervenção para o retirar.

Read More

Há uma empresa portuguesa em destaque na luta contras as infeções bacterianas

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2017-11-29

O nome Bill Gates dispensa apresentações. Um dos homens mais ricos do mundo, Gates tem sido muito mais do que o fundador da Microsoft, tornando-se, através da fundação a que dá nome, juntamente com a mulher – a Fundação Bill & Melinda Gates -, um financiador de projetos na área social, da saúde, humanitária e por aí fora. É isso que significa, para a Immunethep, uma spin-off da Universidade do Porto nascida em 2014, o nome Gates. E isto porque o seu trabalho foi reconhecido pela fundação que preside, traduzido na atribuição de uma verba que ajuda a que a empresa possa continuar com os projetos que tem em mãos, que visam o combate às infeções bacterianas.

Read More

Conversas de saúde descomplicadas

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2017-11-23

Na relação médico/doente, a comunicação é essencial. Mas há momentos em que esta deixa muito a desejar. Seja porque o especialista usa termos que o doente não conhece, porque este último está desatento e não retém as informações, ou simplesmente porque o ‘ruído’ presente na comunicação o impede. É para dar resposta a estes desafios que nasce a HealthTalks, uma aplicação desenvolvida por dois investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), do Porto, e que tem como objetivo ajudar os doentes e melhorar a informação referente à sua saúde.

Read More

Oppala, equilíbrio 100% nacional

Renato Povoas - Managing Partner Desporto, Saúde e Bem-Estar 2017-10-16

O produto é 100% nacional, assim como a OneLove EcoSport, empresa que concebeu e que dá vida à prancha Oppala que, ao contrário de outras pranchas disponíveis no mercado, é usada para muito mais do que surf ou snowboard. Apostada no desenvolvimento de equipamentos desportivos e fisioterapêuticos ecológicos e artesanais através de processos de manufatura sustentáveis, com baixo impacto ambiental, a empresa recorre a materiais naturais e reciclados, como a madeira de agave ou a cortiça que é, de resto, a ‘rainha’ da prancha de equilíbrio Oppala, uma placa oval, feita à mão, que combina, como referem os seus criadores, “métodos de produção artesanais com uma tecnologia avançada”.  

Read More

Diagnóstico da depressão à distância de um exame de sangue

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2017-08-02

E se, para diagnosticar a depressão, não fosse preciso mais do que uma simples análise ao sangue? É esta a proposta de uma equipa do i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (UP), que quer facilitar a vida a quem sofre com a doença e a quem tem que a diagnosticar.

Read More

Inovação no SNS

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2016-02-02

A partir de agora já pode saber o tempo de espera na urgência sem sequer sair de casa. Para isso basta aceder ao novo portal do SNS e assim tem acesso aos tempos de espera, conseguindo escolher o hospital ao qual se deve deslocar para esperar o menor tempo possível por uma consulta.

Esta nova ferramenta do Serviço Nacional de Saúde surge no seguimento de um despacho, que foi apresentado em meados de janeiro, o qual obriga a que se tornem públicos os tempos de espera de todos os serviços de urgência do país. Com esta nova mecânica é dada a hipótese ao utente de escolher o hospital com o menor tempo de espera para ser atendido o mais rapidamente possível.

Para além dos utentes, também os médicos de família conseguirão facilmente perceber para que hospital devem encaminhar os doentes, quer se trate de uma consulta de urgência, quer seja uma consulta de especialidade.

Os hospitais, que ainda não tenham esta funcionalidade ativa, terão que apresentar os tempos de espera nas urgências até dia 1 março, data limite fixada pela lei. Podem-se contar mais de 60 instituições abrangidas pela nova medida.

Este novo portal foi apresentando esta segunda-feira pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, e está disponível no seguinte endereço: sns.gov.pt.

doctor-1149150_1920.jpg

Fonte: Notícia ao Minuto

Projetos portugueses dedicados a idosos destacados no fórum internacional de inovação

Renato Povoas - Managing Partner Saúde e Bem-Estar 2015-09-29

Dois projetos coordenados pelo investigador Jorge Dias, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), GrowMeUp e Social Robot estiveram em destaque no AAL Forum 2015, este evento reúne profissionais e cientistas que estejam envolvidos em projetos tecnológicos inovadores para apoiar idosos (Ambiente Assisted Living) e decorreu entre entre os dias 22 e 25 de Setembro na Bélgica.

O projeto GrowMeUp  foi desenvolvido com o objetivo de melhorar a qualidade de vidas de pessoas de terceira idade (acima dos 65 anos) que sofram de um ligeiro défice físico e /ou cognitivo, estimulando-as a serem independentes e a terem uma vida ativa. O sistema pretende auxiliar cidadãos que vivam sozinhos a encontrar nova motivação e estímulo na realização das suas tarefas diárias. O projeto está ainda a desenvolver um robot que irá chegar ao mercado, com um baixo custo, que vai detetando certas mudanças nos hábitos das pessoas ao longo do tempo.

O Social Robot já  é um projeto europeu que reúne em consórcio quatro parceiros de dois países da União Europeia: Portugal e Chipre. É financiado pela Comissão Europeia no âmbito do Sétimo Programa-Quadro FP7, pelo Programa Pessoas – que apoia parcerias entre empresas e universidades (IAPP) –, este projeto quer dar uma resposta ao desafio da mudança demográfica, através do desenvolvimento de um sistema robótico integrado para fomentar o envelhecimento ativo.

Fonte: PTJornal