fbpx

Alimentação

Novo programa da Startup Lisboa procura boas ‘receitas’

Msousa Alimentação, Startups 2018-08-29

A comida até pode ser o ingrediente principal da ida a um restaurante, mas no novo programa de aceleração da Startup Lisboa, que conta com o apoio do Turismo de Portugal, não é a protagonista. No From Start-to-Table, o que se procura são conceitos inovadores de restauração e tecnologias capazes de melhorar a experiência do cliente e/ou as operações dos restaurantes. Seja do lado dos recursos humanos, no desenho de cozinhas inteligentes, na gestão dos resíduos, pagamentos, reservas, marketing, o que se procura são ideias, boas ideias.

Read More

E que tal um breadfast sem esforço?

Msousa Alimentação 2018-07-25

O pequeno-almoço é considerada a mais importante refeição do dia, aquela que a ciência aconselha a não deixar de fazer. E que tal um breadfast na cama? Ou um breadfast sem ter que sair da mesma para o preparar? Não, não nos enganamos a escrever breakfast, o inglês para pequeno-almoço. Aqui, a palavra escreve-se mesmo com um ‘d’, uma vez que se trata de uma startup nacional que pretende tornar mais fácil fazer esta refeição.

Read More

Insetos que alimentam o mundo

Como vamos alimentar 9,7 mil milhões de pessoas em 2050?

Foi esta a pergunta que deu origem a uma nova startup nacional, cujo nome deixa antever a resposta – insetos.

A Portugal Bugs nasce de um projeto de Guilherme Pereira, aluno da licenciatura em Ciências de Engenharia – Perfil em Engenharia Alimentar da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

No final do curso e respondendo ao desafio de um professor, criou o projeto “Desenvolvimento de uma barra energética à base de proteína de inseto”.

Foi a partir dele que decidiu lançar-se na aventura de alimentar o mundo através de… insetos.

Read More

Experiência gourmet sem sair de casa

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação, Eventos, Startups 2018-01-19

Não há melhor restaurante do que a nossa casa. É verdade que a expressão não é bem assim, mas se não há melhor lugar do que a nossa casa, então não deve ser preciso sair dela para ter a melhor experiência gastronómica gourmet.

É pelo menos este o desafio que a Supper Stars, uma startup nacional, decidiu aceitar. Como? Levando o talento dos chefs aos cenários mais exclusivos, ou seja, a casa de cada um.

Read More

Miss Can, conservas ganham prémio Indústrias Criativas

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação 2015-08-11

Miss Can, startup ligada ao sector das conservas, foi o vencedor do Prémio Nacional de Indústrias Criativas, promovido pela Super Bock e pela Serralves.
Este ano o prémio de 25 mil euros foi atribuído a Miss Can, que concorria na categoria turismo e património, um projeto que “nasceu da vontade de três amigos em recuperar a tradição familiar ligada à indústria conserveira, criando um negócio moderno com a dedicação de outros tempos”. As conservas de sardinha, cavala e atum, utilizam um método artesanal (peixe cozido a vapor), mas com embalagens modernizadas “nos quais se encontra a história desta indústria, curiosidades históricas de acordo com cada tema e sugestões de receitas”.
A Miss Can vai representar Portugal no Creative Business Cup, que se irá realizar a 17 e 18 de novembro em Copenhaga (Dinamarca), de onde irá emergir o melhor empreendedor do setor a nível mundial, entre mais de 50 países participantes.miss can boites

Ser ou não ser “fazedor”

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação 2015-03-20

O Dinheiro Vivo partilha 3 histórias/ideias para estimular o espírito empreendedor de cada um de nós. A Padaria Portuguesa é um dos exemplos.

Aprenda a criar a “sua própria Padaria Portuguesa” aqui.

 

 

Noocity com campanha de crowdfunding

Renato Povoas - Managing Partner Agricultura, Alimentação 2015-03-13

A Noocity, a empresa portuense que desenvolveu soluções para hortas urbanas, tem a decorrer uma campanha de crowdfunding no site Indiegogo

O investimento destina-se à produção de equipamento para desenvolver a atividade da empresa que já está a dar cartas em vários países, como Portugal, Dinamarca, Alemanha, França, Inglaterra, Estados Unidos, Brasil, Israel, Austrália ou Singapura. Surpreendidos?

Um projeto nacional com ambições globais que está a saber aproveitar a tendência das hortas urbanas. Aplaudimos!

Etiquetas com rótulo português

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação 2015-02-10

A Grafopel conta já com meio século de vida. A sua maturidade continua a dar cartas e revela a boa saúde desta empresa portuguesa. Para confirmar este sucesso chegam os números: 60% do equipamento que produz segue para marcas nacionais e internacionais como, vinhos do Porto, Danone, Nestlé, MacDonald’s, Zara, Unicer e Central de Cervejas, entre muitas outras.

A empresa familiar, instalada em Matosinhos, continua a produzir rótulos, embalagens e etiquetas a um ritmo alucinante. Talvez o segredo esteja na sucessão familiar que é regida pelo protocolo instaurado pela própria família e que define os direitos e deveres de cada um. Saiba mais aqui.

Fonte: Dinheiro Vivo

Fábrica lança bolo-rei dietético para o Natal de 2012

Renato Povoas - Managing Partner Alimentação 2011-11-22

Fonte: RTP

A fábrica Douromel, sedeada em Tabuaço, lança no mercado, em 2012, um bolo-rei feito com fruta confitada sem açúcar, um produto “inovador” desenvolvido pela universidade de Vila Real ao qual foi incorporado fibras dietéticas.

Pilar Santos, responsável pela empresa, disse hoje que, no Natal de 2012, já vai estar disponível este bolo-rei mais saudável para quem não dispensa os doces ou não pode mesmo ingerir açúcar.

A Douromel nasceu em 1991, na vila de Tabuaço, localizada no coração da região do Douro, produzindo anualmente mais de mil toneladas de frutas confitadas, o que representa cerca de 80 por cento do volume de vendas.

A pedido da fábrica, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) desenvolveu o “Nutridouro”, que contou com um investimento de 547 mil euros, aprovados no âmbito de uma candidatura à Agência de Inovação.

Liderado por Fernando Milheiro Nunes, docente do Departamento de Química, o projeto levou à produção de fruta confitada sem sacarose, utilizando outros adoçantes menos calóricos.

Mas, segundo explicou o investigador, ao mesmo tempo serão introduzidos outros ingredientes como fibra dietética para “também aumentar os benefícios para a saúde que podem advir do consumo desses produtos confitados”.

Numa altura em que os consumidores querem cada vez menos açúcar, Fernando Nunes referiu que, em termos energéticos, os novos frutos terão ter uma redução de cerca de “um quinto” nas calorias.

Pilar Santos acredita no “sucesso” do projeto que diz que vem dar resposta “às necessidades de consumos e de hábitos alimentares saudáveis”.